sexta-feira, 15 de agosto de 2008

JAB — 60 anos do nascimento















José Agostinho Baptista [1948]



Retrospectiva

Olho para trás.
Dóceis eram as palmeiras,
rodando na infância,
e havia uma nuvem sagrada onde tudo estava
escrito:
dez mandamentos, quatro sinais de vento,
um eco que nunca profanei,
quando o coração parava como se quisesse
ouvir o mais secreto lamento.
Nada que não tenha dito,
em pânico,
ao longo dos anos de um país mortal,
com grinaldas desfeitas sobre o velório dos
dias.

Que se quebrem as lanças,
as lanças sem amor dos cavaleiros da sombra.

in Filho Pródigo, Assírio & Alvim 2008

6 comentários:

Raio disse...

... Parabéns peo espaço de divulgação que aqui têm!

Desconhecia e cheguei aqui satitando de blogue em blogue ...

Prossigam!
Saudações Bloguisticas
Raio

Assírio & Alvim disse...

Obrigado pela sua visita, esperamos que volte!

L. disse...

parabéns ao JAB. o filho pródigo, naturalmente demorou pouco a regressar... à minha pequena biblioteca.

Assírio & Alvim disse...

l., obrigado pela sua visita.
Cumprimentos

rouxinol de Bernardim disse...

Fico grato por poder contemplar alguns nacos de excelente poesia e não só!...

Serviço público na plena acepção da palavra.

Assírio & Alvim disse...

Caro rouxinol,
Mais uma vez, obrigado pela sua visita e pelos seus comentários.
Cumprimentos.