sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Fiama — 70 anos do nascimento

EU

Penso na cosmogonia, as estrelas
ausentes
ou negras, as que consomem mais
o tempo.
Os véus do céu cinzento e metafórico,
a corola
das nuvens, o compasso deste círculo,
o ciclo
das dores.


Fiama Hasse Pais Brandão
[1938-2007]

1 comentário:

inatingivel disse...

BORBOLETAS

procuras amortecedores por causa do choque.
do futuro? a colisão é-o! por isso, não desejes
capacetes. aceita os buracos negros do escuro.

leguminosas secas? frutos gordos?
evocavas o nome de Deus?
tens promessas a cumprir.
sim senhor, há muito que não vou à china.

tubarões ao largo. irra!
prefiro os arianos da origem.
povos das planícies de bengala e afins.
autenticas larvas insatisfeitas banhadas no fluir do pó.

não recordas? redigimos improbabilidade de
viver na exiguidade de nada ser. é a letra da
lei. ou mera recordação das estrelas ausentes.

sofro com a constante de Hubble.
agora que partiste, posso expressá-lo.
só a gravidade retarda o meu peso.
até a lembrança se expande no ininterrupto.

observo a orla das nebulosas cintilantes.
o teu eu reside no silencio do coração.
ou no brilho interior aos reflexos. talvez?

in Interlúdios da Certeza

Pela inspiração e saudade.
Obrigado
Vicente Ferreira da Silva